Por que você escolheu Psicologia?

Veja porque é importante entender suas motivações de escolha



É muito comum ouvirmos a pergunta que dá título a este post quando nós, psicólogos, desenvolvemos o processo de Orientação Profissional com jovens. É claro que eles fazem essa pergunta com frequência! Afinal, o que eles querem é saber como foi o NOSSO processo de escolha profissional, os desafios que enfrentamos naquela época e como fizemos para vencê-los.


Mas você sabia que essa também é uma pergunta muito comum no curso de Psicologia? Logo no primeiro semestre do curso, lá vem os primeiros professores lançando esse questionamento aos futuros psicólogos... E não só na Psicologia, mas em todos os outros cursos profissionalizantes, essa é uma pergunta que faz muitos jovens universitários ficarem angustiados, pensando: 
“O que eu estou fazendo nesse curso mesmo?”.


undefined


Cada um tem os seus motivos para escolher um curso ou profissão, e desde já lembramos que
não existem motivos piores ou melhores. Pode ter um jovem que sonha com aquela profissão desde pequeno, outro jovem que pesquisou muito sobre o assunto e já até sabe em qual área quer trabalhar, tem o jovem que se inspirou em algum profissional da área (profissional que pode ser real ou até mesmo um personagem de filmes e livros), tem o jovem que tem um senso de propósito grande com essa carreira, e tem também aquele outro que não faz ideia do que está fazendo ali! Os motivos são vários!


Aqui, é importante ficar atento para uma armadilha: ficar comparando seu motivo de escolha com o motivo de outras pessoas, pode te levar a pensar que seus motivos não são bons o suficiente para que você faça determinado curso! Então lembre-se que sua história é única, e seu caminho profissional também! Mas é importante entender de onde vem a dúvida de estar ou não em um curso pelas razões certas.


Veja bem... Ser um jovem calouro por si só já pode ser um grande desafio, afinal de contas, nossa rotina acaba mudando: os professores, os colegas, o ambiente, as relações...
É tudo novo! Mas quando falamos especificamente sobre a escolha profissional, todas aquelas dúvidas e questões mal resolvidas em relação à nossa escolha podem vir à tona com o início do curso.

“Será que era isso mesmo que eu queria?”

“E se eu não conseguir fazer nada com o que vou aprender aqui?”

“As outras pessoas parecem tão decididas e empenhadas... será que tenho vocação para isso?”


O que pode acontecer é que alguns motivos para fazer um curso ou seguir uma profissão podem estar baseados em critérios de escolha que são mais estáveis e firmes, enquanto outros podem estar baseados em critérios que são mais frágeis. Vamos dar um exemplo.

Imagine que você está construindo uma casa... Para que ela se mantenha em pé é necessário que ela tenha uma boa fundação e uma estrutura adequada, certo? Se construirmos nossa casa na areia, por exemplo, vai ser um tanto complicado para ela se manter em pé, não é? O mesmo se dá com nossa escolha profissional... Se nos baseamos principalmente em critérios instáveis quando optamos por um curso ou carreira, pode ser que seja mais difícil bancar nossa escolha, isto é, mantê-la de pé.


undefined

Pode ser que quando fizemos nossa opção de curso, não refletimos muito sobre ela... Muitas vezes, na ansiedade de escolher logo acabamos nos contentando com a primeira opção que parece nos agradar, e, nesses casos, é muito comum não querer que ninguém venha questionar nossa escolha. E por que isso acontece? Uma das explicações é que não temos claro nem para nós mesmos o caminho que fizemos até pensar naquele curso ou carreira, não entendemos muito bem como chegamos naquela opção, e aí fica difícil justificar para os outros (e para nós mesmo) os motivos que nos levaram até lá.


Para evitar toda essa confusão e angústia, é fundamental realizarmos uma escolha consciente. Mas o que isso quer dizer? Fazer uma escolha consciente é fazer uma escolha que você compreenda, identificando os motivos que te levaram à ela. Essa consciência, então, requer
autoconhecimento, pesquisa e reflexão. Precisamos pensar verdadeiramente e profundamente sobre o que vamos escolher, pois além de isso nos proporcionar critérios mais firmes que vão facilitar a “casa” ficar de pé, é uma decisão importante que não dá para tomar de uma hora para a outra, como um passe de mágica.


Entender o que gostamos, o que não gostamos, o que esperamos da nossa profissão e qual é a realidade do mercado de trabalho HOJE são alguns aspectos fundamentais nesse processo de reflexão. Inclusive, temos outro post no blog que pode te ajudar a identificar seus critérios de escolha, sem falar na nossa incrível calculadora, que também trabalha esses critérios. Ela se chama “Já sei o suficiente para escolher a minha profissão?” e vale a pena experimentá-la.


Se você já está fazendo um curso, não teve a oportunidade de fazer essa reflexão aprofundada sobre a sua escolha profissional e se sente intimidado quando te perguntam porque você escolheu este curso, saiba que isso NÃO significa que você tem que jogar tudo para o alto e desistir dessa escolha. Acredite: se perguntar se você está no lugar certo é NORMAL, e acontece com todo mundo em VÁRIOS momentos da carreira. Afinal, ninguém tem uma bola de cristal para sabermos se lá na frente ainda estaremos nessa profissão mesmo, felizes da vida com o nosso trabalho. Saiba que o que você entende hoje por “realização” profissional pode ser muito diferente daqui a algum tempo, porque o sentido que vamos dando para o nosso trabalho vai sendo construído ao longo do tempo e com as experiências que vamos tendo.


Então, mesmo que você tenha caído de paraquedas no seu curso, nada te impede de passar por esse processo de reflexão depois de já estar dentro dele, compreendendo os motivos da sua escolha inicial e percebendo se eles realmente fazem sentido para você! Lembre-se que nossas escolhaS profissionaiS não precisam ter um ponto final, afinal, estamos mudando a todo momento!


Usamos o curso de Psicologia como exemplo no início do post, mas você pode substituir
Psicologia” pelo curso profissionalizante da sua escolha. Fazer perguntas para você mesmo como “Por que eu escolhi Ciências da Computação ou Biologia ou Turismo?” é útil a TODO momento, inclusive depois de anos na profissão! Sabe por quê? A resposta vai te ajudar a compreender o que faz sentido para você na sua trajetória profissional.


Você sente que está precisando de ajuda para fazer esta reflexão? Estamos aqui para te ajudar com isto também. O Instituto Viae conta com uma equipe de psicólogos (que fizeram Psicologia por vários motivos, já adiantamos!), especializados em Orientação Profissional. No processo de Orientação Profissional e de Carreira, nós fornecemos ferramentas para que você possa construir uma casa mais firme, mais confortável e mais segura, uma casa em que você goste de estar, e de onde dê para avistar uma belíssima paisagem.


undefined



Texto por:

undefined

www.institutoviae.com.br

contato@institutoviae.com.br

+55 11 959 707 333

Nas redes sociais: @institutoviae


Aqui fica o conteúdo do Post...Aceita HTML, portanto você pode montar o conteúdo do jeito que quiser!!!

#htmlPersonalizado#